NEGO FUGIDO




Trata-se de uma das mais ricas manifestações populares e bastante tradicional do Recôncavo Baiano. Acontece todos os anos no mês de Junho em Acupe, distrito de Santo Amaro, em forma de teatro de rua, atraindo centenas de locais, curiosos de todo o estado da Bahia, turistas e fotógrafos.


Acredita-se que esta representação teve início no século XIX. Nela existe diversos simbolismos ou passagens vividas pelos escravos e representadas pelos moradores, na sua quase total maioria homens, com gestos, cantos em português e iorubá, gritos, tambores, atabaques e danças.


O nome Acupe é de origem indígena e sabe-se que os índios também tiveram influencia na sua ocupação. Talvez por ser uma localidade banhada pela aguas da Baia de Todos os Santos, a pesca e a mariscagem tiveram e teem até hoje, grande importância como meio de sobrevivência.



This is one of the richest popular manifestations of the Recôncavo Baiano and a very traditional one. It takes place every year in June in Acupe, a district of Santo Amaro, in the form of street theater, attracting hundreds of locals, visitors from all over the state of Bahia, tourists, and photographers.


The presentation is believed to have its origins in the 19th century. It comprises several symbolic representations or passages experienced by the slaves and represented by the inhabitants. These are mostly men, who use gestures, songs in Portuguese and Yoruba, screaming, drums, and dances.


The name Acupe is of indigenous origin. It is known that the indigenous people also had an influence on its settlement, perhaps because the place is bathed by the waters of the Bay of Todos os Santos, and fishing has been very important as a means of survival up until the present day.






O Acupe, no passado, foi uma comunidade de negros escravos resistentes que fugiam das fazendas insatisfeitos pelos trabalhos forçados.


Triste passagem da nossa história, mas que, infelizmente faz parte dela e não deixou de ser uma previa do fim da escravidão.



Acupe in the past was a community of rebellious black slaves who had fled the plantations, dissatisfied with forced labor.


It is a sad passage in our history, but unfortunately a part of it, and actually one that presaged the end of slavery.




As lembranças das torturas, dores e sofrimentos, são retratados em rostos e corpos pintados de preto, bocas e línguas vermelhas, pelos protagonistas.


The memories of torture, pain, and suffering are portrayed on faces and bodies that the protagonists paint in black, coloring their mouths and tongues red.






O feitor é encarnado nesta trágica cena puxando um escravo e outros tentando fugir...


The overseer is represented in this tragic scene dragging along a slave while others try to escape ...





As crianças se jogam no chão demonstrando impotência para reagir e sua revolta por ter que ceder.


The children throw themselves on the floor, showing their impotence and inability to react, and their revolt at having to give in.






Os mascarados, também chamados caretas fazem parte do cenário nas ruas do Acupe.


Masked people, also called caretas, are part of the scene in the streets of Acupe.








Aspectos da receptividade dos moradores do Acupe durante o festejo. Não deixa de ser uma comemoração à abolição da escravatura no Brasil, à memória e importância do significado para a comunidade, que apesar de ser uma mancha na nossa

história, faz parte do rico folclore brasileiro.


E o folclore não deve morrer, porque é uma forma de representar a nossa real história.



Aspects of the mood of Acupe residents during the festivities. It is still a celebration of the abolition of slavery in Brazil, of the memory and importance of its meaning, which despite being a dark shadow in our history, is part of the rich Brazilian folklore.


And folklore must not die, because it is true wealth and represents our real history.










“Não preciso ter ambições. Só tem uma coisa que eu quero muito: que a humanidade viva unida... negros e brancos todos juntos.”

Bob Marley

"I do not need ambitions. There is only one thing I want very much: that humanity lives united... black and white all together. "

Bob Marley