IMG_2103.jpg

Sinisia Coni

Fotografias

 

Sou fotógrafa humanista e meu objetivo maior capturar imagens de diferentes povos e culturas, principalmente na minha terra, a Bahia / Brasil, lugar possuidor de um cenário riquíssimo, tanto no cotidiano do nosso povo, como nos eventos populares, religiosos, cívicos e na nossa natureza. 

Em tudo que olho, vejo; em tudo que vejo, sinto; em tudo que sinto registro com minha alma ou com minha câmera. Fotografia é para mim um grande amor cuja essência é momento, sentimento e luz.

Sinisia Coni é uma mulher de extrema personalidade, primorosa educação, transito internacional e social, com formação humanista e sensibilidade artística, que se revelou fotógrafa com um apurado e sensível olhar, educado para a beleza da vida do cotidiano, especialmente daqueles seres humanos com elevado grau de regionalismo, dos diferentes povos e culturas que conheceu em deslumbrantes cenários pelo mundo, fotografando tipos populares, celebrações e eventos culturais, folclóricos, religiosos e cívicos, inseridos em paisagens naturais e edificadas, como moldura contextualizadora.

Sinisia já percorreu uma importante trajetória como “street photografer”, ao contrário do “studio photografer”, captando os momentos vividos, tanto em viagens ao exterior para Portugal, Myanmar ou Índia, quanto, especialmente em sua vivência na Bahia, com um olhar antropológico, artístico e cultural, dando ênfase às raízes afro-baianas, com sua diversidade étnica, expressão cultural, usos e costumes. Seu olhar me faz recordar o encantamento do fotógrafo Pierre Verger pela Bahia, inserido no contexto do peregrino internacional, que registrou em preto e branco o multicolorido afrobaiano.

NEGRA BAHIA é uma exposição que celebra nossa afrobaianidade, inaugurada especialmente no Dia Nacional de Zumbi e da Consciência Negra, consagrado à memória do líder do Quilombo dos Palmares. Salvador tornou-se a maior expressão da colonização portuguesa no Brasil, com suas diversidades e sincronicidades convivendo temporal e territorialmente ao longo da sua história, onde foi construindo e consolidando singulares padrões culturais e comportamentais, expressões, olhares, atitudes, gostos, tradições, credos, paladares, linguagens, com criatividade e personalidade.

Francisco Senna

Historiador, arquiteto, professor e escritor brasileiro, imortal da Academia Brasileira de Letras da Bahia

 

 

Há muita paixão na cultura baiana. “Paixão” é a palavra que caracteriza seus excessos, suas explosões de felicidade, de tristeza, às vezes de violência. Nesse aspecto, este trabalho fotográfico de Sinisia Coni realizado na Bahia não é muito baiano, pois trata do romantismo. Nestas imagens, nada de erupção, nenhum extremismo ou sol escaldante, mas, um céu coberto de nuvens, uma suave melancolia caracterizada pela postura das pessoas perdidas no seu ambiente de vida.

Suas imagens fogem do tempo, ou melhor, param-no.

Os olhares, pensativos, se perdem no céu. O homem pensa, e sua reflexão quase atravessa as fotografias. Mas estamos na Bahia sim, nesta terra de fortes influências africanas, onde sempre foi o povo que marcou e inspirou seus grandes artistas. Estamos na Bahia de Todos os Santos, nas feiras, nas ruas da sua capital, e nos deixamos levar pela doce tranquilidade da vida baiana, dos seus sonhos e da sua imensa poesia.

Sinisia Coni, com formação superior em História pela UFBA e em Design de Interiores pela Panamericana de Arte SP, nasceu em Salvador no ano de 1949. Desde muito cedo é envolvida com a fotografia e, aos 14 anos, ganhou de seu pai um laboratório fotográfico para revelar suas fotos em preto e branco.

Como street photographer, seu objetivo é registrar imagens de diferentes povos e culturas, principalmente na Bahia-Brasil. Para ela, este lugar é possuidor de um cenário riquíssimo tanto em sua natureza como

no cotidiano do povo, e em seus eventos populares, religiosos e cívicos.

Nos últimos anos, Sinisia se dedicou integralmente à fotografia, e seus registros renderam as exposições Terra Brasil, Olhar Viajante e Bahia Brasil Quotidiano, em Portugal; Artists Across Continents, na Noruega; Artcom Internacional, no Carroussel du Louvre, França; e outras mostras na Bahia-Brasil.

“Em tudo que olho, vejo; em tudo que vejo, sinto; em tudo que sinto, registro com minha alma ou com minha câmera. Fotografia pra mim é um grande amor, cuja essência é movimento, sentimento e luz.”

 

Alex Baradel

Responsável pelo acervo fotográfico da Fundação Pierre Verger no Brasil

para mostra “Fragmentos” no Espaço Pierre Verger da Fotografia Baiana

 

"Evidenciar o caráter que permeia a obra de uma fotógrafa como Sinisia Coni é algo oportuno. Ali, o olhar expõe

o fluxo dinâmico das expressões humanas, levando em conta que é extremamente impossível passar incólume

pelo que é testemunhado de perto.  Mesmo quando se supõe uma mera contemplação, há muito mais

consolidando tal gesto.

Em sua arte, Sinisia sonda ambientes urbanos como quem ousa navegar os mares da impessoalidade. O

resultado dessa travessia é transmutado em gestos os quais nos soam familiares na medida em que

concluímos que, não importa qual demarcação geográfica seja, pessoas são feitas da mesma essência.

A fotógrafa baiana confessa que mergulha com a alma quando busca suas imagens. Por tal concepção, é

possível notar que ela não se propõe a uma busca leviana de lugares e pessoas. Não há o registro pelo

registro, alguma espécie de fotografia acidental, mas sim um desejado envolvimento com o que surge diante

dos seus olhos. Percebemos isso quando cores, formas, sombras e faces emanam suas múltiplas e próprias

linguagens num ritual o mais natural possível.

Sem artificialismos e arranjos premeditados, Sinisia Coni é uma genuína testemunha do mundo, seus arroubos

e sua gente." 

Por Fabrício Brandão

Editor da Revista "Diversos Afins"

 

 


REPORTAGENS E ENTREVISTAS / REPORTS AND INTERVIEWS:

- Spider Awards Winners Book 2022

  Spider Awards Winners Book 2022 - Foto

- Fundação Pierre Verger . Boletim “Fragmentos"

- Delhi Photo Tour

- UMA INDIA DOIS OLHARES - ONE INDIA TWO VIEWS EXHIBITION  

-http://bit.ly/uma-india-dois-olhares

- https://reynivaldobritoartesvisuais.blogspot.com.br/2017/10/dois-fotografos-focados-na-india.html?spref=fb

http://wwwsinisiaconicom.exposureaward.com/1

MYANMAR - MULHERES: Forneria Pasta em Casa

- CATALOGO "NEGRA BAHIA"

- Negra Bahia - Jornal da CABRIOLA

- Negra Bahia - Leiamais.ba

- Six Dimension Kolkata Exhibition- Catálogo da Exposição "Fragmentos" (Espaço Pierre Verger da Fotografia Baiana 2017)

 - Catálogo Casa Cor Bahia 2015

I´m a "humanist photographer" and my main goal is to capture images of different peoples and cultures,

particularly in my home state of Bahia / Brazil, a land which possesses such a rich scenario both in relation to

both the day-to-day life of our people and popular, religious and civic events, as well as our nature itself.

 

I see all that I look at; I feel all that I see; all that I feel I record – be it with the soul or with the camera. Photography for me is a great love whose essence is moment, feeling and light.

Sinisia Coni is a woman of great personality, with an excellent education, a history of international and social perigrinations, humanistic training and artistic sensitivity. She has shown herself to be a photographer with an accurate and sensitive eye tuned to the beauty in everyday life, especially that of human beings exhibiting a high degree of regionalism, of the different peoples and cultures she has met in breathtaking scenarios around the world, where she has photographed popular types and cultural, folkloric, religious and civil celebrations and events inserted in natural and built landscapes serving as contextualizing frames.

 

Sinisia has already had an important trajectory as "street photographer", in contradistinction to "studio photographer." With an anthropological, artistic and cultural gaze, she has captured moments experienced during trips to Portugal, Myanmar and India as well as in Bahia, where she gives emphasis to the Afro-Bahian lineage and its ethnic diversity, cultural expression, customs and habits. Her vision reminds me of photographer Pierre Verger's enchantment with Bahia, inserted in the context of the international pilgrim, who recorded the multicolored Afro-Bahian context in black and white.

 

Francisco Senna

Brazilian historian, architect, professor and writer, immortal of the Brazilian Academy of Letters of Bahia

There is a lot of passion in Bahian culture. "Passion" is the word that characterizes its excesses, its explosions of happiness, of sadness, and sometimes of violence. From this standpoint, the photographic work done by Sinisia Coni in Bahia is not very Bahian, because it deals with romanticism. In these images, there is no eruption, no extremism or scorching sun, but a cloud-covered sky, a gentle melancholy characterized by the posture of people lost in the surroundings of their life. Her images escape from time, or rather, halt it.

The gazes, pensive, lose themselves in the sky. Man thinks, and his reflection almost breaks through the photographs. But we are indeed in Bahia, in this land of strong African influences, where the great artists were always marked and inspired by the people. We are in Bahia de Todos os Santos, in the markets, in the streets of its capital, and we let ourselves be carried away by the sweet tranquility of Bahian life, its dreams and its immense poetry.

Sinisia Coni, who holds a degree in History from UFBA and a degree in Interior Design from the Panamericana de Arte school in São Paulo, was born in Salvador in 1949. She was involved in photography at a very early age, and at age 14 was given a photography laboratory by her father, in order to be able to develop her black and white photos.

As a street photographer, her objective is to record images of different peoples and cultures, mainly in Bahia, Brazil. For her, the place possesses a very rich scenery in terms of nature and the everyday life of its people, as well as its popular, religious and civic events.

In recent years, Sinisia has devoted herself entirely to photography, and her records have yielded the exhibitions Terra Brasil, Olhar Viajante and Bahia Brasil Quotidiano, in Portugal; Artists Across Continents, in Norway; Artcom International, at the Carrousel du Louvre, France; and other shows in Bahia, Brazil.

"Everything I look at, I see; everything I see, I feel; everything I feel, I record with my soul or with my camera. Photography for me is a great love, whose essence is movement, feeling and light." (Sinisia Coni)

 

Alex Baradel

Responsible for the photographic collection of the Pierre Verger Foundation in Brazil

for the exhibition Fragments in the Pierre Verger Space for Bahian Photography)

 

"To witness the calibre which permeates the works of a photographer like Sinisia Coni is so fortunate. Her look

represents the dynamic flow of human expressions, taking into account it is almost impossible to be unaffected

by what is witnessed first-hand.  Even when involving a mere contemplation, there is so much more supporting

such a gesture.

Sinisia´s art addresses urban environments like someone daring to sail the seas of impersonality. The result of

this passage is conveyed in gestures which sound familiar to us to the extent we conclude that whatever the

geographic landmark, people are made of the same essence.

The photographer from Bahia confesses that she puts her entire soul into the search for her images. As such, it

is clear she is not inclined to conducting frivolous searches for places and people. She doesn´t take pictures for

the sake of it, some kind of accidental photograph, but creates a purposeful involvement with what appears in

front of her eyes. We perceive this when colours, shapes, shadows and faces emanate their own multiple

languages in the most natural ritual possible.

With no artificial ingredients or premeditated arrangements, Sinisia Coni is a genuine witness to the world, its

raptures and its people."

Fabrício Brandão

Publisher of the magazine “Diversos Afins”